-A A +A
Campus de Goiabeiras, Vitória - ES

Investigação dos Efeitos do Etanol no Desempenho de Inibidores Cinéticos de Hidratos

Nome: Bruno dos Santos Renato
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 03/04/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Eustaquio Vinicius Ribeiro de Castro Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eloi Alves da Silva Filho Examinador Interno
Eustaquio Vinicius Ribeiro de Castro Orientador
FELIPE MAURO RENA CARDOSO Examinador Externo

Resumo: Dentre os principais mecanismos para evitar a formação de hidratos estão os inibidores termodinâmicos, cinéticos e os anti-aglomerantes. Os inibidores termodinâmicos são largamente utilizados na indústria. Os mais comuns no mundo são o MEG e o metanol, já no Brasil o etanol é o mais utilizado. Os inibidores cinéticos ainda são raros, pois apresentam desvantagens relacionadas ao desempenho em condições severas de temperatura e pressão. Com objetivo de utilizar uma estratégia de inibição combinada entre cinéticos e termodinâmicos utilizando o etanol como inibidor termodinâmico foram testados três diferentes inibidores cinéticos comerciais em condições de sub-resfriamentos nos quais a inibição unicamente cinética não apresenta resultados satisfatórios. Os testes foram realizados em um reator de alta pressão e volume constante. A formação de hidratos é identificada através da redução da pressão e elevação na temperatura uma vez que a formação destes cristais consome gás é exotérmica. O desempenho dos inibidores foi associado aos tempos de indução e de cristalização além das curvas de pressão, temperatura e corrente elétrica do agitador magnético. Nos experimentos, identificou-se um aumento significativo no tempo de indução para 2 dos inibidores cinéticos combinados etanol na proporção 10% em massa, já a cominação com 30% de etanol apresentou degradação na relação do desempenho com o sub-resfriamento. As características dos hidratos formados também foram alteradas na presença de inibidores cinéticos e do etanol, tornando menor a capacidade dos cristais de hidratos de se aderirem e causar bloqueio em dutos.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910