-A A +A
Campus de Goiabeiras, Vitória - ES

Estudo do Perfil Químico de Apreensões de Maconha por RMN de 1H e Outras Técnicas Analíticas

Nome: Júlia de Almeida Leite
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 30/03/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Álvaro Cunha Neto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Álvaro Cunha Neto Orientador
Hildegardo Seibert França Examinador Externo
Wanderson Romão Examinador Interno

Resumo: Maconha, droga derivada da planta Cannabis sativa L., é a substância ilícita mais consumida no mundo. Neste trabalho, um total de 156 amostras de maconha apreendidas no estado do Espírito Santo (ES) – Brasil foram estudadas e analisadas por RMN de 1H, CG-EM e EM a fim de se identificar seus principais canabinoides. Primeiramente, métodos de extração foram testados. Após análises de RMN de 1H, um extrato bruto de todas as amostras foi submetido à CLAE com o objetivo de purificar esses compostos para servirem como substâncias de referência. Δ9-THC (Δ9-tetraidrocanabinol), Δ9-THCA (ácido tetraidrocanabinólico), Δ8-THC (Δ8-tetraidrocanabinol), 11-hidroxicanabinol, CBV (canabivarina) e CBN (canabinol) foram encontrados e suas estruturas químicas confirmadas por CG-EM. O último composto foi obtido com alta pureza (≈ 100%) enquanto os outros foram obtidos como misturas menos complexas. Outros canabinoides como canabicromeno, canabiciclol e canabicumaronona foram também encontrados no extrato bruto de maconha. Espectros de RMN de 1H e espectros de massas de todas as 156 amostras foram submetidos a Análise de Componentes Principais (ACP) e verificou-se que as mesmas são similares, sendo naturalmente agrupadas, o que pode sugerir que toda a maconha apreendida no ES é proveniente de um único fornecedor. Com seleção de variáveis para os espectros de RMN de 1H, foi observado que as amostras se agruparam por sazonalidade, diferenciando-se em dois grupos (Julho/2014 a Janeiro/2015 e Fevereiro/2015 a Julho/2015), o que indica a existência de amostras novas e antigas. Além disso, utilizando-se três bandas cromatográficas obtidas após separação por CLAE, dentro desse modelo, foi possível observar que o perfil químico das amostras apreendidas apresentou uma maior similaridade com o espectro de RMN de 1H da banda isolada contendo a mistura de Δ8-THC, Δ9-THC e CBN.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910